A Arte de Vender

A Arte de Vender
          GOOOOOOL!  Que golaço!  Passei a bola do Clube de Prosperidade para o  editor Diego Maia, que de primeira chutou fazendo um belíssimo gol. Gol de visão empresarial. Criar para os Profissionais de Vendas um clube com a missão de ampliar o intercâmbio de competências, fortalecendo o companheirismo da classe e  promovendo crenças e valores para a abundância e fartura, é um gol de placa.  E sabe porque? Porque todos ganham, e assim sendo, é próspero. E falando de prosperidade… Vamos tratar de algo que possa nos conduzir a esse estado  de sermos prósperos:  VENDER.
Nos primórdios da humanidade, quando o mundo ainda se organizava em pequenas comunidades, as pessoas já constatavam que tinham habilidades diferentes, como é até hoje. Quem sabia fazer o queijo, não sabia tecer uma roupa para o frio, quem conseguia caçar algum animal ameaçador, poderia ou não saber pescar. Cada pessoa tinha seus talentos. Quando as crianças iam se tornando adolescentes, os mais velhos queriam imediatamente perceber suas vocações. E assim,era a Vida nas comunidades, onde todos faziam por todos. Acontece que alguns grupos comunitários eram errantes, ou seja, procuravam novas formas de oportunidades. Quando esses grupos se cruzavam, eles observavam e apreciavam o que cada um  possuía de peculiar e o que poderia ser conseguido em forma de troca. Surge dessa maneira o COMÉRCIO, tendo de um lado o vendedor  e de outro o comprador.
Importante assinalar que era o comprador quem falava primeiro. Declarava o seu interesse no que desejava comprar, e o vendedor só o venderia se encontrasse algo, em poder do comprador, que despertasse o seu desejo de posse.  E assim sendo acontecia um NEGÓCIO.
Negócio é qualquer atividade que nega a ociosidade. E era exatamente na negociação que se evidenciava os talentos comerciais dos negociadores. Quem negociava melhor era considerado vendedor, porque tinha vencido, com seus argumentos, o seu oponente. Vender era a arte de vencer. Vencer para viver. Viver melhor com sua comunidade e família. Essa trilogia perdura até aos nossos dias: Vender – Vencer – Viver. É interessante percebermos que a nossa responsabilidade é a de aprendermos a viver.  Saber viver é o constante desafio.  E dessa forma temos uma segunda trilogia: Ter – Ser – Saber.
Aprofundando nossa reflexão, podemos afirmar que para se viver melhor é importante sabermos o que precisamos ter e no que precisamos vir a ser. O “vender” nos aproxima do “ter”, enquanto o “vencer” nos transforma em um novo ser. Saber ter e ser é a meta maior de todo ser humano.  Quem vende (vendedor) tem o seu poder de compra ampliado. Quem vence (vencedor) é poderosamente atraente. E quem vive com essas configurações de “ter” e “ser” vive como sábio, porque sabe ter e ser. Vender para se ter boas coisas da vida; vencer para ser uma coisa boa na vida e viver para o saber viver.Quantos chefes-de-família ou donas-de-casa foram repentinamente surpreendidos pela dinâmica da vida, perdendo seus empregos e com eles a esperança da tão valorizada estabilidade. Diante desse cruel e verdadeiro cenário é que, cada vez mais observamos que a maioria, em sua frenética vontade de resgate, torna-se vendedora. Agora, analisemos um outro lado dessa fantástica história social: alguém, compelido pela necessidade, deixa-se encantar pelas propostas sedutoras e mesmo sem grandes atributos. Projeta-se nessa nova função de vender.  Fico admirado e aplaudo tamanha coragem e ousadia.  Ouvi quando jovem, de um mentor, que “grandes batalhas só são dadas a grandes guerreiros” e entendo que é exatamente isso que está ocorrendo nos dias de hoje. Pessoas que estão deixando de lado sua timidez, sua comodidade, seus medos e inseguranças, e partindo rumo as planícies do bom combate. Essa batalha não será somente pelo ganhar dinheiro ou pela sobrevivência.  Não basta só vender. É necessário vencer. Vencer o inimigo. O inimigo que se oculta dentro de cada um de nós e que impede um novo saber. Saber que cada comprador foi antes de tudo um vendedor, ou seja, vendeu para ter a oportunidade de agora comprar. Ao comprar, caracteriza-se como vencedor, pois obteve algo para si e para sua família. Agora, inexoravelmente terá que passar pela prova do saber. Saber ser com o que se tem.  Muitos, por não saberem ter, se tornaram miseráveis e egoístas, o que nos leva a concluir que todos nós somos vendedores.  Não importa qual seja nossa profissão ou atividade desempenhada, vendemos nosso tempo ou serviço para alguém ou alguma organização.
Considero dois aspectos de extrema importância para a nossa vitória pessoal e profissional. Primeiro, aprimorar nossas comunicações intra e interpessoais.  Todo aquele que se abre para a possibilidade de assimilar novas formas de entender o outro e procurar explanar com clareza suas intenções, estará sendo cada vez mais eficiente e, com isso, ampliará o seu patrimônio afetivo.  Segundo, compreender que o mundo está modificando seus padrões de comportamentos e evoluindo rapidamente para novos conceitos. O meu bom amigo Dr. Fernando Amaral Junqueira, diretor-geral da Forever Living Products Brasil e a escritora Mônica Lacombe criaram uma sentença que aprecio muito, por exaltar uma realidade inequívoca: Emprego não existe, trabalho sobra.  Indo mais além do que simplesmente usar a falácia, Mônica criou um novo trabalho, altamente lucrativo, formando pessoas como Agentes de Saúde e Beleza.  Devemos orientar nossa atenção para os valores e crenças que permeiam o terceiro milênio e perceber nossas limitações como oportunidades de crescimento, desde que estejamos na trilha do aprendizado eficaz. Muitas novas profissões surgirão, mas o bom vendedor é eterno.
O maior desafio do vendedor é realizar uma outra trilogia: Comprador – Cliente – Vendedor.  Inicialmente, devemos compreender que comprador é aquele indivíduo que efetua alguma compra com o vendedor em algum tempo e espaço. Como comprador, ele se manterá até o instante no qual o vendedor consiga realizar uma nova transação. Somente quando o vendedor renovar com o comprador outra operação comercial, é que nasce o cliente. Cliente é aquele indivíduo que compra com o vendedor várias vezes. O vendedor torna-se seu consultor.
O próximo passo na consagração do vendedor é transformar o atual cliente em seu vendedor. Como? É simples e agora peço sua atenção para o principal fundamento da arte de vender. Já comentei que todos nós somos vendedores.  Há, sem sombra de dúvida, uma quantidade imensa de princípios importantes que norteiam os excelentes vendedores em suas negociações. Porém, entendo que a principal missão é a de encantar o seu cliente, pois só assim é que ele se tornará seu vendedor. Só assim ele indicará você como um verdadeiro profissional em vendas. E para isso é preciso saber ouvir o seu cliente. Aliás, saber ouvir qualquer pessoa é um passo estratégico muito inteligente. E toda boa venda deve ser inteligente.  Rapport, empatia, e confiança são ações que só se completam com a atitude de saber ouvir o cliente. Se você ouve sua família, ouve seus amigos, ouve seus clientes, com certeza você será sempre uma melhor pessoa. Você sempre falará com muito mais propriedade do que aqueles que só falam e mal conseguem perceber o que os outros querem dizer.
Vender é na atualidade uma das atividades mais lucrativas e das mais terapêuticas. Quer aumentar seu círculo de amigos, acabar com a depressão? Quer ser magnético e fazer seu futuro? Torne-se um Profissional em Vendas.  Descubra-se na arte de vender. A arte de vender é a arte de vencer em suas mais profundas limitações. No chamado mundo moderno, onde existem variadas escolas estudando a excelência do comportamento humano, podemos dizer que se tornar vendedor é lançar-se ao desconhecido. É embrenhar-se pelo labirinto do “Conhece-te a ti mesmo” ou estar diante da esfinge que nos diz: “Decifra-me ou te devoro”.
Espero encontrá-lo em breve no nosso Clube da Prosperidade.
Até a próxima e Boa$ Venda$ !!!

Kaanda Ananda é conferencista, consultor empresarial e coach com certificação internacional. Professor da Faculdade Hélio Alonso.

Para conhecer seu trabalho, acesse: www.kaanda.com.br ou envie um e.mail:kaanda@kaanda.com.br

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*